Ilha de Marajó: guia completo dessa maravilha no Pará

Considerada a maior ilha fluviomarinha do mundo, a Ilha de Marajó no Pará é uma atração bastante exótica e repleta de belezas naturais. Com muitos pontos para conhecer, além da excelente culinária e cultura local, os passeios na região valem muito a pena.

Nesse artigo, apresentaremos um guia completo da Ilha de Marajó, citando os principais pontos turísticos, dicas de alimentação e hospedagem, além de comentar sobre algumas curiosidades locais. Fique com a gente e confira um pouco sobre esse excelente lugar!

Onde fica a Ilha de Marajó

A Ilha de Marajó fica localizada no estado do Pará, na sua parte Norte. Nessa região, acontece o encontro do Rio Amazonas com o Oceano Atlântico, formando um bonito espetáculo.

Cercada de muita natureza e de um belo mar, o lugar contém diversas atrações envolvendo a parte do Rio Amazonas e a parte do Oceano Atlântico. A ilha fica bem próxima da capital Belém, sendo muito tranquilo ir de carro até a região onde acontece o translado para a ilha, feito por um navio fluvial ou por lanchas.

Como chegar na Ilha de Marajó

Para chegar até a Ilha de Marajó, é muito aconselhável pegar um voo até a capital Belém e prosseguir para o Terminal Hidroviário de Belém, de onde saem embarcações para a ilha. Existem duas alternativas para a viagem, a mais comum é com com barcos de linha, que são maiores e demoram cerca de 3h30 minutos para realizar o percurso inteiro. O preço fica por volta dos 20 reais.

A outra opção, com as lanchas rápidas, o percurso dura cerca de 2 horas e custa aproximadamente 50 reais. Para quem está com mais pressa e tem hora marcada, recomendamos essas lanchas, pela maior velocidade e facilidade no trajeto.

As passagens são compradas no próprio terminal e na mesma hora, porém é melhor antecipar. Em relação aos horários de saída, eles são bem confusos e é necessário realizar uma ligação dias antes para perguntar, pois eles costumam variar bastante.

Qual a melhor época para visitar a Ilha de Marajó?

Essa é uma pergunta muito importante, pois o clima na ilha influência bastante diversos passeios. Por fazer parte da região amazônica, a Ilha do Marajó conta com chuva quase que 70% da época do ano, além disso, na época mais forte de chuva, a ilha pode alagar em diversas partes.

Portanto, fique atento ao clima na época de sua viagem e observe sobre a disponibilidade de seus passeios. Dê preferência para os meses de janeiro a junho, período de inverno na ilha. Nesse período, as chuvas diminuem um pouco e pode favorecer os passeios.

ilha de marajó

Curiosidades da Ilha de Marajó

A Ilha de Marajó é considerada um lugar especial por muitos. Banhada tanto por águas fluviais e águas oceânicas, o lugar contem uma enorme biodiversidade e uma cultura bastante rica. Seu tamanho é de aproximadamente 40 km², sendo pequena parte dela habitada. Por conta disso, a natureza toma conta da região.

A ilha tem uma cultura muito forte voltada para a arte de modelar, sendo muito conhecida através de excelentes artesãos, que acabam vendendo diversas peças para os turistas. Além disso, é importante mencionar que a cultura de modelar a argila na região surgiu há muito tempo atrás, através dos índios.

Em suma, a região era repleta de índios antes da chegada dos portugueses, que realizavam a arte de modelar há muito tempo. Sobretudo, o nome de Marajó significa “anteparo do mar” na língua tupi. O nome remete a sua localização e a observação dos índios em relação as cheias dos rios e a subida das marés na região, trazendo muita informação desde muito tempo atrás.

Búfalos na Ilha de Marajó

A Ilha de Marajó é muito conhecida na região pela grande quantidade de búfalos por lá. É bem comum você estar andando nas ruas e encontrar alguém andando em cima de um búfalo. Esses animais se adaptaram bem a região e são uma atração à parte.

Bastante dóceis, os animais estão espalhados principalmente nas grandes fazendas do local, sendo inclusos em diversos passeios. Em partes da ilha, os búfalos são usados por policiais para locomoção nas patrulhas.

Principais cidades

A Ilha de Marajó é composta por 17 cidades, sendo algumas delas bem desconhecidas e com poucos habitantes. As cidades mais famosas na ilha são Salvaterra, Soure e Cachoeira do Arari, todas localizadas bem próximas de Belém, na parte oriental da ilha.

As demais cidades são mais afastadas e de difícil acesso, formando grandes fazendas de búfalos e criação de gado.

Certamente, Soure e Salvaterra são as duas cidades que comportam o maior número de passeios na região, tendo maior infraestrutura e quase que 80% da população total da ilha. Para quem gosta de maiores aventuras, conhecer essas cidades mais afastadas pode ser uma boa escolha, mostrando um lado da ilha que poucos veem.

O que fazer na Ilha de Marajó

Antes de mais nada, é importante deixar claro que a Ilha do Marajó é o lugar ideal para relaxar e fugir da rotina estressante. Ou seja, não é o tipo de lugar cheio de pontos turísticos em que é necessário criar uma lista com o que fazer e visitar. Isso não é ruim, muito pelo contrário. Hoje em dia existem infinitos destinos para quem quer realizar viagens mais movimentadas e cheias de atrações. No entanto, não é sempre que encontramos um lugar tranquilo e propício para o relaxamento em contato direto com a natureza, certo?

Portanto, a Ilha de Marajó é uma pequena e encantadora vila, com muitas ruas de terra e grama. Ela é envolta pelo Rio Paracauari e a Baía do Marajó no encontro com o Oceano Atlântico. Só por essa descrição já dá pra perceber que esse lugar é realmente mágico. Mas, para te ajudar um pouquinho mais, vamos dar algumas dicas de passeio e do que você pode fazer na Ilha de Marajó.

Praia de Barra Velha

É fato que as praias são a principal razão pela qual a maioria das pessoas visita a Ilha de Marajó e a Praia de Barra Velha é uma das principais. Ela fica bem próxima a Soure, que é a principal povoação da Ilha de Marajó, a aproximadamente 4 km, sendo acessada por uma passarela de madeira. Ali você vai encontrar quiosques coloridos e restaurantes que servem pratos prontos e porções. Uma parte da praia é de mangue com areia fininha e de lá você pode conhecer outras praias como a do Jubim. No entanto, é preciso tomar cuidado com a maré para não ficar ilhado. Sendo assim, lembre-se que a maré fica baixa em torno de 10 horas e retorna ao fim da tarde.

Passeio de barco pelos igarapés

Esse passeio é uma delícia e não pode ficar de fora de seu roteiro. basta você chegar no trapiche e negociar por lá mesmo com algum barqueiro para começar sua aventura. Em 2020 o valor era de R$50,00 para duas pessoas e você irá conhecer os igarapés de Salvaterra e Soure. Mas, além dos igarapés, você tem contato com diversos tipos de pássaros, pode observar o boto, ouvir o “canto” dos macacos, e em dias de calor, ainda pode ver os búfalos se divertindo na beira do rio.

passeio de barco ilha de marajó

Visitar as ruínas dos jesuítas e a Praia de Jones

Para chegar até a praia de Joanes, você precisa ir para Salvaterra, caso não esteja hospedado por lá. A partir dali, você pode pegar um táxi até Joanes, com preço um pouco salgado, em torno de R$120,00 ida e volta. O ideal é ir logo pela manhã para aproveitar e almoçar na praia em um restaurante pé na areia que tem por lá. Quando cansar é só voltar, mas já adianto que é um passeio de quase um dia inteiro.

As ruínas ficam bem pertinho da praia e você pode ir andando. Elas são do século XVIII, o que restou da Igreja durante a colonização no trabalho para catequizar e proteger os índios. É um local com poucos turistas, muitas árvores e redários, além de alguns restaurantes e centro de artesanato. Nele, os moradores fazem artesanato sustentável com coisas do mar, do rio e da Amazônia. 

Passeio na Fazenda São Jerônimo

Uma das principais atrações em Soures na Ilha de Marajó é o passeio na Fazenda São Jerônimo, que inclui trilha e passeio de canoa pelo Igarapé do Tucumanduba até a Praia do Goiabal. O dono da fazenda recebe os turistas e explica um pouco sobre o lugar, acompanhando os tours. Ele tem uma pequena criação de búfalos em uma área bem grande que abrange uma plantação de coco, que é a principal fonte de renda, além de um rio, praia e manguezal.

Uma parte do trajeto do passeio na Fazenda São Jerônimo é feita com búfalos e você pode ir montado ou a pé ao lado deles. Outra parte é feita a pé e você pode ir de chinelo mesmo. Depois, ao chegar até o rio você sobe na canoa e vai passeando pela floresta até o encontro com o mar. Quem opta por ir montado no búfalo em vez da canoa precisa ter certeza que sabe nadar, pois em alguns momentos vocês ficarão apenas com a cabeça fora d’água. A próxima etapa é um passeio pela Praia do Goiabal e pelo manguezal, que juntos criam uma das paisagens mais bonitas da viagem. Por fim, o passeio termina com suco de frutas da região delicioso. 

Conhecer a cerâmica marajoara

Outra opção de passeio está relacionado a tradição da cerâmica marajoara nos ateliês e centros do local, que mantém viva a herança dos primeiros habitantes da Ilha. Os vasos e outros objetos de cerâmica originais encontrados em sítios arqueológicos são lindos e extremamente raros. Ainda que muitas peças saíram do país, você pode conhecer o M’barayó, um dos centros de cerâmica da Ilha. Ali, existem várias peças prontas para comprar e todas têm um significado por trás. São máscaras, vasos, pratos, vasilhas, colares, e você pode aprender como elas são feitas e um pouco mais da história e tradição marajoara.

Quanto custa para conhecer a Ilha de Marajó?

Os preços de passeios na Ilha do Marajó são considerados bem em conta, considerando até o translado até a ilha. De modo geral, o local é bastante simples e a cultura local chama bastante a atenção. Em relação as hospedagens, elas ficam bem em conta e possuem uma infraestrutura mediana, trazendo conforto para o turista.

Em relação a alimentação, os diversos restaurantes da região contêm diversos preços, porém a faixa de preço fica dentro dos padrões nacionais, nada muito fora da curva. Acima de tudo, por ser uma região bem humilde, você acaba até se surpreendendo com alguns preços tão baixos, muitas vezes em pratos que os próprios moradores produzem ou pescam os ingredientes.

Em suma, vale bastante a pena conhecer o local e se aventurar nessa ilha. Os passeios reúnem muita diversão e a preços são bem acolhedores.

ilha de marajó

Onde se hospedar na Ilha de Marajó

As cidades de Soure e Salvaterra são os principais destinos turísticos na Ilha de Marajó e em ambas você irá encontrar boas opções de hospedagens, como hotéis e pousadas simples, confortáveis e cheios de história. Para escolher onde se hospedar, você pode considerar as atrações que mais deseja conhecer e assim optar pela cidade que fica mais perto delas. Há quem diga que Salvaterra conta com mais hotéis e praias para visitar, mas a estrutura das duas cidades é muito parecida. Confira abaixo algumas opções de hospedagem que separamos:

Pousada Aruanã, Soure

Localizada em Soure, a 2,3 km da Praia de Garrote, a Pousada Aruanã oferece acomodações com piscina ao ar livre, estacionamento, jardim e churrasqueira. Além disso, também conta com wi-fi, recepção e serviço de quarto 24 horas, sendo que possui quartos família. Na pousada os quartos são equipados com guarda-roupa, TV e banheiro privativo, além de área de estar. Todas as manhãs eles servem café da manhã colonial e você pode aproveitar para descansar no terraço. Vale lembrar ainda que a localização é uma das principais vantagens dessa pousada, sendo muito bem avaliada em aplicativos especializados, como o booking.

Pousada O Canto do Francês, Soure

Outra pousada em Soure muito bem avaliada é o Canto do Francês, que oferece wi-fi gratuito, café da manhã todos os dias com frutas da estação, sucos naturais e pães, e quartos com ar-condicionado. Além disso, o famoso restaurante na região, chamado Solar do Bola, fica a apenas 2 minutos a pé. Todos os quartos da pousada possuem varanda, tv e banheiro privativo, com uma decoração simples, piso frio, roupa de cama e toalhas. Além de descansar no local, também pode realizar passeios de bicicleta, a cavalo e pesca.

Pousada dos Corações, Salvaterra

Localizada a apenas 500 metros da Praia Grande, a Pousada dos Corações conta com churrasqueira e wi-fi gratuito nos chalés. Além disso, com design charmoso e em forma de coração, o chalé superior possui ar-condicionado, TV, frigobar, banheiro privativo, varanda com rede, ventilador, etc. Além da churrasqueira, pode aproveitar o delicioso jardim da pousada e um bar. A propriedade ainda conta com um lounge comum, lavanderia e oferece uma grande variedade de atividades no local ou imediações, como ciclismo, trilhas e pesca. A Praça Jarbas Passarinho está a apenas 1 km de distância e a Praia Joanes a 19 km.

Fazenda Nossa Senhora do Carmo, Salvaterra

Com vista para o lago, a Fazenda Nossa Senhora do Carmo é um hotel fazenda rural muito bem avaliado. Ele oferece hospedagem com conforto e bem-estar na tradicional Casa Grande, sem luxo, mas com uma recepção calorosa. Com pensão completa e culinária caseira de apurado paladar, o grande destaque vai para as iguarias produzidas na própria fazenda. Ela é isolada de centros urbanos, sendo uma verdadeira experiência na vida rural. Sendo assim, se você não consegue ficar longe da tecnologia ou simplesmente não gosta desse tipo de experiência, o ideal é procurar outra hospedagem. 

Restaurantes na Ilha de Marajó

É fato que o Pará é um dos destinos mais gastronômicos do Brasil com uma variedade imensa de alimentos que é impossível não se apaixonar. Sendo assim, veja abaixo uma lista do que você não pode deixar de experimentar quando estiver na ilha:

  • Queijo de búfala;
  • Tacacá;
  • Sorvete feito com leite de búfala;
  • Suco de frutas locais, como cupuaçu ou bacuri;
  • Coxinha de caraquejo;
  • Turu;
  • Açaí;
  • Filé de búfalo com queijo;
  • Camarão rosa com farinha d`água;
  • Cerveja Tijura Cerpa (original do Pará).

Os acompanhamentos para esses pratos podem ser arroz com jambu, arroz com coentro, salada ou macarrão. Mas, onde você pode experimentar todos esses pratos? Veja abaixo algumas dicas de restaurantes na Ilha de Marajó. Em sua maioria, eles são bem simples, mas isso não significa que a comida seja ruim, muito pelo contrário.

Restaurantes na ilha de marajó

Solar do Bola

Ainda que seja simples, o Solar do Bola é muito limpo e organizado. Ele conta com um cardápio variado, com muitas opções de pizzas, sanduíches, sopas e refeições com frango, carne, camarão, peixe e caranguejo.

Hotel Casarão Amazônia

Esse é um dos melhores hotéis da Ilha e como consequência, tem o restaurante mais sofisticado. Por mais que seja difícil atrair funcionários experientes para este interior culinário, os esforços do proprietário italiano foram bem recompensados. A cozinha é responsável por preparar tudo, desde especialidades locais até itens internacionais.

Bar e Restaurante Pantú-Anú

Seu nome significa “O bom espírito das Águas”em Tupi Guarani, que é uma entidade mística na forma de um pássaro mágico que atravessa e dissipa as trevas, promovendo luz e progresso por onde passa. Esse restaurante é simples, mas é um dos mais conhecidos na região de Soure. Os preços variam entre R$30,00 a R$40,00, mas servem duas pessoas tranquilamente.

Restaurante e Sorveteria Celilda

O local é bem pequeno e por isso pode passar despercebido por muitas pessoas que passam pela região. Mas, além de um almoço extremamente apetitoso, eles também oferecem diversos sabores de picolés caseiros e o mais legal é que são feitos com frutas amazônicas. Os valores são um pouco altos, mas vale a pena por ser um picolé exótico, além de serem feitos com leite de búfalo.

Delícias da Nalva

A descrição ideal para esse restaurante é aquele lugar em que você se sente em casa comendo a comida de sua avó. Ele está localizado bem no centro de Soure, sendo um estabelecimento aconchegante e tranquilo para que você possa experimentar as comidas típicas. O valor médio do prato é de R$60,00, mas serve muito bem duas pessoas.

Peixaria do Jacaré

Esse é um restaurante de praia localizado em Salvaterra que serve os favoritos de Marajoana de peixe grelhado e bifes de búfalo. A atmosfera do ambiente é muito descontraída e você pode ficar mais tempo após o término de sua refeição.

Informações Úteis

A melhor maneira para se locomover na Ilha de Marajó é de táxi ou mototáxi. Isso porque, ainda que seja possível alugar bicicleta, ela só vai te levar até o centrinho de Soure, visto que a maior parte das atrações ficam mais longe.

Vale lembrar ainda que dos bancos mais famosos, você irá encontrar apenas Bradesco e Banco do Brasil. Portanto, esteja preparado caso não seja cliente desses bancos. Além disso, a internet disponível não é das melhores, mas dá para viver. Afinal, com tantas coisas bonitas dificilmente vai querer ficar nas redes sociais.

Outro ponto importante é que a Ilha de Marajó não possui uma grande infraestrutura turística. A região é simples, assim como os moradores e você precisará se adaptar aos costumes locais para conseguir aproveitar sua viagem. Sendo assim, não vá esperando uma estrutura parecida com a de cidades turísticas famosas, pois não é isso que irá encontrar.

Por fim, lembre-se que o clima na Ilha de Marajó é de chuva, assim como na maioria das regiões da Amazônia. Ou seja, quase tudo fica alagado durante a estação chuvosa. Sendo assim, procure visitar a ilha entre julho e janeiro, período em que não chove tanto e o calor não é tão intenso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *